domingo, 26 de agosto de 2012

Dos "Dizeres dos Pais do Deserto"

Conta-se a história de um irmão que veio conhecer Abba Arsênio em Scetis. Quando ele chegou à igreja e perguntou se poderia visitar Abba Arsênio, lhe responderam, "Irmão, coma e beba alguma coisa primeiro, e então vá vê-lo." Mas ele disse, "Não comerei até conhecê-lo." Como a cela de Arsênio era distante, eles enviaram um irmão para acompanhá-lo. Tendo batido na porta de Arsênio, eles entraram, cumprimentaram o velho monge e sentaram sem que uma palavra fosse dita. Então o irmão que acompanhava o visitante disse, "Eu te deixarei aqui. Rezem por mim." O irmão visitante, sentindo-se pouco a vontade com o velho, disse, "Irei contigo." E eles foram embora juntos.

Então o irmão visitante pediu, "Leve-me a Abba Moisés, que no passado foi bandido." Quando eles chegaram, o Abba os recebeu alegremente, e depediu-se deles com gozo. O irmão que guiava o visitante perguntou a seu companheiro, "Eu te apresentei a Arsênio e Moisés, qual dos dois você prefere?" "Por mim," respondeu o visitante, "prefiro Abba Moisés".

Agora, um padre que ouviu estas palavras orou a Deus, dizendo, "Senhor, explique esta questão para mim: por amor ao teu nome um homem foge da companhia dos homens, e o outro, por amor ao teu nome, os recebe de braços abertos."

E então numa revelação ele viu dois grandes barcos descendo um rio, e em um ele viu Abba Arsênio e o Espírito Santo em perfeito silêncio; e no outro estavam Abba Moisés e os anjos de Deus, comendo bolos de mel.

Minha tradução está tosquinha, e deixarei qualquer explicação do texto pra depois. Mas se há uma parábola perfeita para a beleza da diversidade cristã, talvez seja esta.







Nenhum comentário:

Postar um comentário