sexta-feira, 9 de maio de 2014

Carta aberta a CONFRADESP

Querida CONFRADESP,

Eu sou alguém de absolutamente nenhuma importância. Não sou da sua convenção, só visitei algumas de suas igrejas, esporadicamente, e não posso dizer que entendo como funciona sua política interna. Votei pro outro cara na última CGADB. Pra vocês terem uma ideia do quanto não devem prestar atenção em mim, eu sou membro daquela classe que pastores assembleianos são estatutariamente obrigados a ignorar: professores de teologia. Mas só quero registrar o quanto fiquei estupefato com essa notícia aqui. Vocês contemplam descredenciar o Marco Feliciano por ele ter concedido entrevista para a revista Playboy.

Não pelos seus exageros e desvios doutrinários - quem se importa com isso? Um maluco em Boston que vê anjinhos, isso sim é uma ameaça ao cristianismo global; mas Marco Feliciano é apenas o pregador assembleiano mais famoso do Brasil, quem se importa se ele prega absurdos? 

Não por ter oportunisticamente utilizado a projeção ministerial que Deus (por algum motivo enigmático) o concedeu para realizar ambições políticas; e nem por usar seu poder político da maneira mais inflamatória, contra-produtiva e debochada possível - porque aparentemente o pior político evangélico ainda é melhor que o melhor político mundano.

Vocês nem levantaram a voz quando o Feliciano começou a alisar o cabelo, o maior choque estético do mundo evangélico desde o dia em que o Silas Malafaia raspou seu bigode.

Vocês querem  descredenciar o Marco Feliciano por dar entrevista a Playboy. E pior do que isso, o motivo do escândalo não é qualquer coisa que ele tenha dito na entrevista. Como as reportagens afirmam, "O pastor Lelis Washington diz que o problema não esta no conteúdo das declarações de Feliciano. 'Deixando de analisar a entrevista, não é essa literatura que recomendamos aos fiéis.'"

Ou seja: vocês pegaram uma entrevista em que Marco Feliciano admite que prefere não experimentar com sexo anal gay por medo de que seja gostoso e viciante demais*, e o que os deixa preocupados é que assembleianos vão sair em massa pras bancas de revista comprar exemplares de Playboy? Playboy! Uma revista cujo público consumidor consiste principalmente de meninos de 14 anos sem internet em casa!

Minha reclamação é: vivemos numa situação hilariantemente desgraçada em que pastores podem aparecer em propagandas de produtos e, com plena impunidade, vender bençãos em programas de televisão. Pastores podem passar suas igrejas pros seus filhos como se fossem barões legando feudos aos seus herdeiros. Pastores podem praticar tráfico de influência e vender o apoio de congregações inteiras pra políticos favorecidos. Pastores podem praticar assédio sexual contra membras da igreja com a segurança sinistra de que a palavra deles vale tudo e a palavra de suas vítimas vale nada. Pastores podem exigir dízimos adicionais, "primícias", e ofertas vultosas em troca de bugigangas ungidas. Pastores podem se arrogar o título de apóstolo, "paipóstolo", patriarca ou seja lá que título ridículo queiram inventar.

Pastores só não podem dar entrevista pra Playboy, porque ainda não existe pedra de tropeço maior na cabeça de vocês do que mulher pelada. 

Não pensem que meu desejo é defender o Marco Feliciano. Talvez o caso dele realmente necessite o descredenciamento. O bem que ele faz, ele já poderia fazer fora da Assembleia de Deus. Como não há qualquer mecanismo de contabilidade operante entre ele e a denominação, não há nada de bom que a Assembleia de Deus possa fazer para ele, e benefício nenhum que ele pode trazer para a Assembleia de Deus; há apenas constrição arbitrária por conta de questões ridículas por parte da Assembleia, e o vexame diário que ele nos provoca. O Marco Feliciano deveria ser chamado para aconselhamento e contabilidade ministerial; deveria talvez até ser descredenciado. Mas não por uma entrevista besta numa revistinha cretina.

* Não, sério, ele disse isso. "Com certeza, tem homens que têm tara por ânus, sim. Eu não entendo muito dessa área porque nunca fiz, graças a Deus, e espero nunca fazer, porque parece que quem faz não volta mais." 

Um comentário:

  1. olá meu querido professor, vc está sempre nos surpreendendo com seus pontos de vistas exuberantes!!!!!

    ResponderExcluir